Radio Planeta Rei

quarta-feira, 19 de julho de 2017

Crida é morto a tiros na PB - 262 entre São José do Bonfim e Teixeira

Por volta das 10h00 da manhã desta quarta-feira (19), a Polícia Civil da cidade de Patos foi avisada que havia uma vítima provavelmente morta por disparo de arma de fogo, especificamente em um trecho da rodovia PB 262, localizado na subida da serra de Teixeira.

O delegado plantonista Demetrius Patricio disse que incialmente o SAMU foi acionado, pois algumas pessoas que presenciaram o corpo do homem caído, acharam que se tratava de um acidente de trânsito. Porém, quando examinado, o corpo apresentava uma perfuração que, segundo informou o delegado, parece ser de uma espingarda calibre 12.

A perícia constatou que a vítima estava subindo a serra numa motocicleta quando recebeu um único tiro pelas costas. A vítima identificada como sendo Antônio Claudionor Nunes (Crida), tombou na beira da pista e chegou a morrer ali mesmo no local.

Até o momento a Polícia não tem mais informações sobre os antecedentes da vítima, porém trabalha com uma linha de investigação que esta sendo construída com base nas informações dos familiares.

O delegado Demetrius Patricio reforçou que o Disque Denúncia 197, tem sido uma ferramenta importante na elucidação de muitos crimes, e conclamou a população a participar mais, pois a ligação é totalmente sigilosa.

Fonte:Patos Verdade

domingo, 2 de julho de 2017

Veja como cada deputado paraibano se posiciona sobre a denúncia contra Temer

Deputados Federais da Paraíba 
A Folha de São Paulo procurou na semana que passou todos os 513 deputados da Casa após o STF (Supremo Tribunal Federal) receber, na segunda (26), a peça em que Temer é acusado de corrupção passiva – seria o destinatário de uma mala de R$ 500 mil de propina da JBS, além de promessa de outros R$ 38 milhões em vantagens indevidas.

Cabe à Câmara dos deputados dar ou não aval, com os votos de no mínimo 342 deputados, para que o STF possa aceitar a denúncia e abrir a ação penal. Nessa hipótese, Temer seria afastado por até 180 dias para ser julgado.

Entenda a denúncia contra Temer

Só 45 deputados responderam que votarão contra a aceitação da denúncia.
Entre os apoiadores do presidente estão aliados fiéis como Carlos Marun (PMDB-MS) e Darcísio Perondi (PMDB-RS), vice-líderes do governo na Câmara.

Já os que declaram apoio à continuidade das investigações somam 130 parlamentares, 212 a menos do que o mínimo necessário para que a denúncia seja aceita.

Outros 112 afirmaram que não sabem ainda como votarão e 57 não quiseram se posicionar.

Veja abaixo as respostas dos deputados paraibanos:

A FAVOR DA ACEITAÇÃO DA DENÚNCIA:

Luiz Couto (PT-PB)
Pedro Cunha Lima (PSDB-PB)

CONTRA A ACEITAÇÃO DA DENÚNCIA:

Hugo Motta (PMDB-PB)
André Amaral (PMDB-PB)

NÃO VAI SE PRONUNCIAR:

Benjamin Maranhão (SD-PB)

NÃO SABE:

Rômulo Gouveia (PSD-PB)
Efraim Filho (DEM-PB)

NÃO RESPONDEU

Wellington Roberto (PR)
Aguinaldo Ribeiro (PP-PB)

Fonte: Folha de São Paulo

sábado, 1 de julho de 2017

Campanha da garotinha Sthefany Encerrada


Graças a Deus conseguimos a cirurgia da garotinha Stefane 

Agradecemos primeiramente a Deus, a família e a todos os amigos e pessoas de bem, que nos ajudaram tanto em doações como em orações, Deus os abençoe imensamente.

Informamos, que conseguimos a cirurgia gratuita e todo o dinheiro arrecadado será destinado aos exames e remédios necessários, sendo que o que sobrar será revestido em cestas básicas para a doação.

A cirurgia será no (Hospital infantil Arlinda Marques), presidida pelos médicos:
*Dra. Nadja Naira Marques de Aquino
*Dr. Daniel Rangel ( medico pediatra)
*Dr. Joacilda Nunes ( medica pediatra)
*Dr. Tereza Cristina (medica psiquiatra)

Toda a família será eternamente grata a eles, Deus nos enviou anjos a nos ajudar neste momento.
Portanto, a campanha para a arrecadação de fundos para a cirurgia esta encerrada!

“Cada um contribua segundo propôs no seu coração; não com tristeza, ou por necessidade; porque Deus ama ao que dá com alegria.”
2 Coríntios 9:7

Franquinho (pai), Socorro (mãe), Lourdes de Chiquinho (avó) e toda a família agradece imensamente, Deus abençoe a todos.

terça-feira, 27 de junho de 2017

Família da garotinha Sthefany faz campanha para realizar cirurgia

A garotinha Maria de Lourdes Sthefany, que tem 10 anos de idade, está precisando da nossa  ajuda e solidariedade . 

Recentemente ela realizou uma tomografia computadorizada do abdome (ver imagem acima), a qual detectou a existência de um cisto no baço que vem evoluindo a cada dia.

Os médicos, após analisarem o exame, indicaram a necessidade de se fazer urgentemente  uma cirurgia para retirada do baço, que foi  marcada imediatamente para o dia 19 de julho de 2017.

Por causa do alto custo da cirurgia: R$ 25,000,00 (vinte e cinco mil reais), a família e os amigos de Sthefany lançaram uma campanha para arrecadar a quantia necessária e estão lutando ao lado dos pais, Franklis e Socorro, em busca de apoio, uma vez que os mesmos não dispõem de recursos financeiros para pagar todas as despesas.

Sthefany mora na Rua Joaquim Camilo Duarte, na cidade de Teixeira-PB.

AJUDEM POR FAVOR. É nesse momento que nossos corações palpitam com maior intensidade no sentido de fazer o bem, sem olhar a quem. 

Conta Poupança Caixa: 

Maria de Lourdes M Barros
Agência: 0043
Conta: 013 146849-5
CPF: 072.134.414-34

Pode entrar em contato pelo telefone : 83 9 9992-0380

segunda-feira, 26 de junho de 2017

Morre o ex-presidente da Câmara Municipal de Teixeira Heronildes Costa. Sepultamento acontece às 16 h de hoje

Faleceu na manhã do último sábado, na cidade de Campina Grande, o ex-vereador Heronildes Costa de Oliveira.  

Heronildes militou na politica teixeirense nas décadas de 70, 80 e 90. Durante esse período disputou seis vezes  uma vaga para Câmara Municipal, sendo eleito em três oportunidades: em 1976, pela ARENA (com 382 votos); em 1982, pelo PDS ( com 339 votos) e  em 1996, pelo PFL (com 242 votos).  

No ano de  2000, ele disputou pela sexta vez uma vaga no legislativo pelo PFL, mas não logrou  êxito, obtendo 150 votos.

Militante fervoroso do grupo político ao qual pertencia, Heronildes notabilizou-se pela postura firme, corajosa e determinada com a qual apresentava e defendia os seus argumentos. 

O corpo do ex-presidente está sendo velado no prédio da Câmara Municipal de Teixeira e o sepultamento será realizado às 16 horas no cemitério local.

Enviamos votos de pesar à família enlutada.   

quarta-feira, 21 de junho de 2017

Ex-vereador Jarbas emite nota de esclarecimento a respeito de foto sua com o prefeito Nego de Guri

Ex-vereador Francisco Jarbas
No início da tarde de hoje, o ex-vereador Francisco Jarbas de Oliveira veio até a minha residência para solicitar a publicação neste blog de uma nota de esclarecimento a respeito de uma fotografia em que ele aparece ao lado do prefeito de Teixeira Nego de Guri durante um evento realizado no Postinho de saúde Antônio Paulo de Almeida, próximo a Escola José Elias de Amorim. 

Ponderei a Jarbas que não considerava oportuno publicar, pois o blog encontra-se praticamente desativado, uma vez que não tenho tido tempo de fazer as atualizações diárias, mas, mesmo assim, o ex-parlamentar considerou  importante fazer a referida publicação.  

Portanto, para preservar a isenção que consideramos necessária e oportuna em qualquer meio de comunicação, está publicada, abaixo,  a nota precedida de um sucinto comentário.

COMENTÁRIO DA NOTA 

Jarbas começa falando das eleições de 2016 quando disputou a vaga de vice-prefeito na chapa encabeçada por Wenceslau Marques e afirma que a sua história política foi sempre pautada pela lealdade, firmeza, humildade e  pelo respeito ao povo e aos correligionários.

Em seguida Jarbas passa a comentar sobre uma fotografia sua com o Prefeito Nego de Guri,  publicada recentemente nas redes sociais. Segundo o  ex-vereador,  a foto foi tirada durante uma confraternização  junina no postinho onde o mesmo trabalha,  sem nenhuma conotação politico-partidária.  

Para o vereador,  correligionários do prefeito aproveitaram o evento festivo para tentar confundir a opinião pública, insinuando uma possível aproximação  e alinhamento politico seu  com  Nego de Guri, o que não tem qualquer cabimento,  pois embora o respeite como pessoa, não concorda com a sua forma de governar  e,  por esse motivo, mantém-se  firme  e forte na oposição.

Jarbas finaliza a nota, dizendo que não trairá  os votos de 4401 pessoas que acreditaram num novo projeto para o município de Teixeira e que continuará lutando bravamente para que esse projeto se concretize num futuro próximo.

A NOTA




quinta-feira, 18 de maio de 2017

Pá de cal no governo golpista: em grampo, Temer avaliza JBS a comprar o silêncio de Eduardo Cunha e doleiro em Curitiba.


Do jornal O Globo:

RIO — Na tarde de quarta-feira passada, Joesley Batista e o seu irmão Wesley entraram apressados no STF e seguiram direto para o gabinete do ministro Edson Fachin. Os donos da JBS, a maior produtora de proteína animal do planeta, estavam acompanhados de mais cinco pessoas, todas da empresa. Foram lá para o ato final de uma bomba atômica que explodirá sobre o país — a delação premiada que fizeram, com poder de destruição igual ou maior que a da Odebrecht. Diante de Fachin, a quem cabe homologar a delação, os sete presentes ao encontro confirmaram: tudo o que contaram à Procuradoria-Geral da República em abril foi por livre e espontânea vontade, sem coação.
É uma delação como jamais foi feita na Lava-Jato: Nela, o presidente Michel Temer foi gravado em um diálogo embaraçoso. Diante de Joesley, Temer indicou o deputado Rodrigo Rocha Loures (PMDB-PR) para resolver um assunto da J&F (holding que controla a JBS). Posteriormente, Rocha Loures foi filmado recebendo uma mala com R$ 500 mil enviados por Joesley. Temer também ouviu do empresário que estava dando a Eduardo Cunha e ao operador Lúcio Funaro uma mesada na prisão para ficarem calados. Diante da informação, Temer incentivou: “Tem que manter isso, viu?”.
Aécio Neves foi gravado pedindo R$ 2 milhões a Joesley. O dinheiro foi entregue a um primo do presidente do PSDB, numa cena devidamente filmada pela Polícia Federal. A PF rastreou o caminho dos reais. Descobriu que eles foram depositados numa empresa do senador Zeze Perrella (PSDB-MG).

Joesley relatou também que Guido Mantega era o seu contato com o PT. Era com o ex-ministro da Fazenda de Lula e Dilma Rousseff que o dinheiro de propina era negociado para ser distribuído aos petistas e aliados. Mantega também operava os interesses da JBS no BNDES.

Joesley revelou também que pagou R$ 5 milhões para Eduardo Cunha após sua prisão, valor referente a um saldo de propina que o peemedebista tinha com ele. Disse ainda que devia R$ 20 milhões pela tramitação de lei sobre a desoneração tributária do setor de frango.
Pela primeira vez na Lava-Jato foram feitas “ações controladas”, num total de sete. Ou seja, um meio de obtenção de prova em flagrante, mas em que a ação da polícia é adiada para o momento mais oportuno para a investigação. Significa que os diálogos e as entregas de malas (ou mochilas) com dinheiro foram filmadas pela PF. As cédulas tinham seus números de série informados aos procuradores. Como se fosse pouco, as malas ou mochilas estavam com chips para que se pudesse rastrear o caminho dos reais. Nessas ações controladas foram distribuídos cerca de R$ 3 milhões em propinas carimbadas durante todo o mês de abril.

Se a delação da Odebrecht foi negociada durante dez meses e a da OAS se arrasta por mais de um ano, a da JBS foi feita em tempo recorde. No final de março, se iniciaram as conversas. Os depoimentos começaram em abril e na primeira semana de maio já haviam terminado. As tratativas foram feitas pelo diretor jurídico da JBS, Francisco Assis e Silva. Num caso único, aliás, Assis e Silva acabou virando também delator. Nunca antes na história das colaborações um negociador virara delator.

A velocidade supersônica para que a PGR tenha topado a delação tem uma explicação cristalina. O que a turma da JBS (Joesley sobretudo) tinha nas mãos era algo nunca visto pelos procuradores: conversas comprometedoras gravadas pelo próprio Joesley com Temer e Aécio — além de todo um histórico de propinas distribuídas a políticos nos últimos dez anos. Em duas oportunidades em março, o dono da JBS conversou com o presidente e com o senador tucano levando um gravador escondido — arma que já se revelara certeira sob o bolso do paletó de Sérgio Machado, delator que inaugurou a leva de áudios comprometedores. Ressalte-se que essas conversas, delicadas em qualquer época, ocorreram no período mais agudo da Lava-Jato. Nem que fosse por medo, é de se perguntar: como alguém ainda tinha coragem de tratar desses assuntos de forma tão descarada?

Para que as conversas não vazassem, a PGR adotou um procedimento inusual. Joesley, por exemplo, entrava na garagem da sede da procuradoria dirigindo o próprio carro e subia para a sala de depoimentos sem ser identificado. Assim como os outros delatores.

Ao mesmo tempo em que delatava no Brasil, a JBS mandatou o escritório de advocacia Trench, Rossi e Watanabe para tentar um acordo de leniência com o Departamento de Justiça dos EUA (DoJ). Fechá-lo é fundamental para o futuro do grupo dos irmãos Batista. A JBS tem 56 fábricas nos EUA, onde lidera o mercado de suínos, frangos e o de bovinos. Precisa também fazer um IPO (abertura de capital) da JBS Foods na Bolsa de Nova York.

Pelo que foi homologado por Fachin, os sete delatores não serão presos e nem usarão tornozeleiras eletrônicas. Será paga uma multa de R$ 225 milhões para livrá-los das operações Greenfield e Lava-Jato que investigam a JBS há dois anos. Essa conta pode aumentar quando (e se) a leniência com o DoJ for assinada. (Colaborou Guilherme Amado)

Fonte: Nocaute